18 junho 2005

IRON MAIDEN Pavilhão Atlântico 16/06/05 - O Concerto

Saudações metaleiras,
Dois dias após o grande concerto de IRON MAIDEN, o corpo dorido dos moxes, a garganta "arranhada" de tanto gritar, nódoas negras e alguns arranhões, mas principalmente um desejo nos nossos corações, porque é que o tempo não recua? Bem, a vida segue sempre em frente e temos promessa que para o ano temos mais uma visita dos "MetalGods" ao nosso país, para apresentarem mais uma obra-prima.
Bem, começando no inicio da nossa "odisseia", eram 13:30, estavam jà os Neo-Metaleiros reunidos na estação da rodoviària da pequena cidade onde residimos, prontos para iniciarmos uma das mais expectantes viagens das nossas vidas; no "bus" o caminho parecia cada vez mais aumentar e estavamos ansiosos por vermos a capital, mas foi uma viagem bastante animada, sempre na alegre galhofa (acho que nunca mais nos deixam andar num expresso); Chegados à capital, e assim que saimos do dito "bus" fomos a todo o "speed" para a estação de comboios de 7 Rios, para podermos apanhar o comboio para a Gare do Oriente; Dentro do dito cujo comboio, foi uma alegre galhofa (como podem ver, nós os Neo-Metaleiros somos completamentos malucos e basicamente mais uma vez acho que nunca mais nos deixam por um pé que seja dentro de um comboio).
Chegados ao Vasco da Gama, deparamos logo com o "Templo" (o Pavilhão Atlântico), fomos então à procura de um sítio para nos sentarmos e tomar uma bebida, enquanto esperavamos pela hora de corrermos para o Pavilhão com o objectivo de conseguirmos apanhar um bom lugar.
As horas custavam a passar, e bem tentàvamos passar tempo, distraindo-nos a ver lojas, mas mesmo assim não conseguiamos parar de "roer as unhas".
Antes de continuar com o relato, quero deixar aqui bem expresso que para além de o centro comercial estar apinhado de Maidonians, andavam tambem por là DEUSAS!!!!!
Continuando, a hora de jantar havia chegado e nós là fomos encher a pança, e tal como o meu amigo Chronos, fui tambem alvo de uma indigestão da comida do Maconato e da sua cerveja; o jantar correu bastante bem e sempre presentiado com animadas coversas e postas de pescada dos membros mais cómicos desta nossa irmandade.
Eram 19 horas, e nós acorremos ao Pavilhão Atlântico, onde as filas para entrar no dito "Templo" aumentavam cada vez mais. Nas vàrias entradas do "Templo", existe sempre a habititual revista ao pessoal, e quero deixar aqui bem expresso o meu desagrado com o trabalho dos filhos da puta dos bófias, que para além de estarem a desempenhar as ordens que lhes são dadas, abusam, e quero deixar aqui uma mensagem para os bófias e para os seus superiores - Comam menos merda, isso faz-vos mal!!!
Bem passado este momento desagradàvel, entramos para o "Templo" e fomos logo marcar lugar. Enquanto a ansiedade aumentava, por entre cânticos dirigidos aos chefes, bacuradas e umas malhas de Arch Enemy, o tempo passava cada vez mais devagar e o nosso olhar apenas se dirigia para o relógio do membro Profeta (e para uma deusa que estava a minha frente).
Com o anunciar das 20:30, entraram em palco os Dragenforce, e tal como referiu o Chronos, são uma das grandes revelações do Speed/Power Metal europeu, e os trinta minutos cedidos a esta banda sobe a pouco mas jà deu para adoçar a boca. Pela minha parte, gostei da actuação desta banda e como sou fã deste género de metal, vou acompanhar o trabalho dos Dragonforce.
Em relação ao público, começava-se jà a afirmar-se os pontos de moxe, gostei muito de ver algumas reações de pessoal que não conhecia a banda e estava a curtir o espétaculo mas fiquei muito desapontado por algumas almas vaiarem os músicos que deram o melhor que podiam dar numa actução curta.
Após o termino da actuação dos Dragonforce, sucedeu-lhe o intervalo, que para mim foi o maior intervalo da minha vida, até que as luzes se apagaram e começou-se a ouvir o "Ides of March", e os chefes entraram em palco para nos deliciarem com um grandioso concerto, ao qual o publico correspondeu muito bem com palmas, cânticos e estupidamente com moxes e "crowdsurf".
Foi de outro mundo, ouvir os exitos mais antigos dos chefes, em que nos cd's nos aparecem num estilo mais de hard rock, e no concerto bastante pesadas e apresentando o Heavy Metal na sua màxima força.
Todas os momentos do concertos foram muito especiais para mim, mas quero salientar a entrada da música "Where Eagles Dare" com o som das metrelhadoras; o "Remenber Tomorrow" muito melódico e dedicado ao Manú da Silva, que todos sentiram nos seus corações; a "Revelations", excelente, brilhante, genial; o "Number of The Beast", que para complementar a música, fomos delíciados com uma grande espétàculo de cenàrio, com o 666 bem luminoso, acompanhado com chamas e as figuras do Eddie e de um bode; no "Trooper", o senhor Bruce com o casaco vermelho do "Trooper".
Foi um grandioso concerto, que ficarà para sempre no meu coração, tal como o anterior concerto onde estive presente.
Agora, nós, viramos os nossos pensamentos para o nosso próximo objectivo, que é a visita ao Eddies Bar, e peço a quem ler este post, que se tiver informações sobre em que estado se encontra agora a continuidade do Eddies Bar, nós ficamos muito agradecidos em que nos fornecam essas informações.
Obrigado Chefes por um dia excelente nas nossas vidas e um grande Obrigado ao Manú da Silva, descansa em paz!!!
UP THE IRONS!!!!

4 Comments:

Blogger Nihilus said...

É isso parente! Agora só falta a confirmação do João Armando e Eddie's Bar here we go!!! Temos que ir fazer homenagem ao maior maidonian tuga!

12:55 da tarde  
Blogger trooper said...

Tou ansioso para ir, caneco, se formos, vai ser excelente

12:57 da tarde  
Blogger Nihilus said...

Hell yeah!!!

1:19 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

best regards, nice info Commercial vehicle warranty Why diet pills are bad engine looksmart marketing search Oil plug washer Estate planning taxes High blood pressure car accident Software hp image Liposuction staten island Fishing store tokyo

8:21 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home