14 novembro 2005

Ausência

Saudações metaleiras, passaram 5 meses desde que escrevi o ultimo post neste nosso antro dedico metal.
Nós, os neo metaleiros, nestes ultimos 5 meses sofremos perdas de alguns membros, bem como a maior tradição desde o nascimento da nossa irmandade, as reuniões e as canecas.
Neste momemto, andamos a preparar o nosso proximo projecto, sobre o qual ainda não vou poder me pronuniar, mas espero que em breve poderemos mesmo confirmar o começo de uma nova era para a nossa irrmandade.
Em relação ao mundo metaleiro, apeenass tenho a frisar o meeu descontentamento ccom o que se passou na edição deste anooo do Ozzfest, onde os CHEFES, os IRON MAIDEN, foram tratados como lixo e vaiados por meros e insignificantes montes de merda americana.
Bem, até um próximo post,

Metal Allways Fuckin' Loud!!!!

25 junho 2005

Neo-Metaleiros

Saudações metaleiras,
O motivo que me leva a escrever este post deriva de vàrias visitas a alguns blogs onde encontrava post's e comentàrios sobre o Neo-Metal (nu-metal ou new-metal) e sobre Neo-Metaleiros (fãs de nu-metal). Ora bem, ao depara-me com estes ditos textos, lembrei-me que se um gajo for fazer uma pesquisa num motor de busca com as palavras neo-metaleiros, encontra esses ditos blogs e é claro, o nosso. Para prevenir futuros comentàrios, passo a explicar o significado do nome da nossa irmandade:
Em relação ao nosso nome, foi idealizado durante uma das nossas famosas reuniões, por entre umas quantas "pints", em que tivemos a ideia de formar esta irmandade metaleira. O nome de Neo-Metaleiros, significa que somos uma irmandade recente, constítuida por jovens, nada relacionado com o Nu-Metal.
Em relação aos gostos dos elementos da irmandade, apenas alguns são partilhados, como podem ver é o Heavy-Metal, particularmente IRON MAIDEN, e outras vertentes do Metal.
Espero que fiquem esclarecidos e até um próximo post,
UP THE IRONS

24 junho 2005

As palavras do grande Nicko McBrain

Para aqueles que não acreditavam em nós, ou mesmo para aqueles que acreditam, mas acham que é sempre melhor ouvir um "chefe" a falar das coisas do que uma cambada de gajos que não percebe nada disto, aqui têm a opinião do esgazeado do Nicko Mcbrain, o baterista dos Iron Maiden:
...
"On Thursday the 16th we travelled over to Lisbon for a show at the Pavilhao Atlantico. We played to around 13,000 billies and we were on fire that night I can tell you. We hit the stage at 9:30pm and had a great gig. The crowd were fantastic.
When we got to ‘Remember Tomorrow’, Bruce had a word with the audience about our friend Manu. We dedicated this tune too him. It was a very emotional performance. I think also that it was the best we played this tune so far.

Love you Manu!!!!!! "

Nicko's Diary
retirado do site oficial www.ironmaiden.com

P.S.: Peço desculpa mas não me apeteceu traduzir!

23 junho 2005

Concurso de Bandas - Montemor-o-Novo


Foto: Mysticism

Saudações pessoal da pesada,

No passado dia 19 deste mês, realizou-se um Concurso de Bandas, no Parque Urbano de Montemor-o-Novo. Este evento foi promovido pela JCP (é a unica coisa que sabem fazer de jeito) com o intuito de qualificar uma banda para actuar na Festa do Avante (faziam melhor figura mas era a dar um concerto cà).
No concurso estavam inscritas três bandas regionais, sendo elas: os Mysticism de Vendas Novas, os Christshade de Évora e a representar a cidade que recebeu este concurso, os The Myst.
A primeira actuação foi a dos Mysticism, banda composta por um guitarrista, baixista, baterista, teclista e uma vocalista, apresentaram um metal gótico, fazendo lembrar Oratory mas com mà qualidade. Em termos de vocal, a vocalista da banda não tem qualidade, a voz dela era inconstante; em termos de instrumental, não recordo uma malha que me tivesse chamado a atenção, e sinceramente estiveram muito mal. Em relação a esta banda ainda tenho a apontar uma situação, no final dos concertos, estavam a vender merchandise da banda, agora pergunto, serà que eles pensam que são muito conhecidos, que são famosos? Bem eu dava-lhes um conselho, pensem em compor umas malhas decentes, arrajem uma outra vocalista e talvez daqui a uns aninhos a ideia de venderem merchadise da banda tenha nexo.
A segunda banda a entrar em palco, foram os The Myst, os representantes da cidade, que apresentaram um trash metal melódico, que em termos de instrumental estiveram bastante bem, o que lhes arruinou foi mesmo o vocal e as letras das musicas, e é tudo o que escrevo sobre a actuação dos The Myst, porque sinceramente "marching to war" é uma tristeza.
A terceira e vencedora do concurso, com bastante mérito, os Christshade, apresentaram um metal gótico bastante interessante, com letras muito bem compostas, malhas bem exploradas e compostas, em relação aos vocalistas, o vocalista, esteve bastante bem, e pela negativa a vocalista da banda, parecia um empecilho que estava ali no palco, que devia tar a pensar que tava num concerto de pop/rock, e a voz dela, ficou em casa? Bem acho que sim.
E termino a minha critica a um raro espétaculo musical de metal nesta cidade, fiquei desapontado pois esperava mais qualidade nas bandas que actuaram, e de positivo fico com uma boa impressão dos Christshade e espero que se lembrem de trocarem de vocalista (a tipa).
Até uma próxima!!!

Nightwish e Kreator nos Festivais de Verão Tuga

Saudações metaleiras,
Acabo de ver o Hypertensão do "Mestre" António Freitas, quando para minha grande surpresa, são proferidas as seguintes palavras: " Nightwish CONFIRMADÍSSIMO no cartaz do festival Vilar de Mouros".
Bem, ainda estou em choque, mas precipitei-me logo para o meu pc para ir verificar o cartaz do Vilar de Mouros.
Após um grande momento de excitação e de contagem de todos os trocos que tenho para poder adquirir uma passagem para o festival, olho eu para o cartaz de um festival o qual desconhecia completamente a sua existência - Festival do Tejo, no Cartaxo, onde irão actuar os Moonspell, grande banda, mas quando olho um pouco mais acima, vejo KREATOR.
Bem este verão os festivais estão bastante bem entregues em termos de metal, só é pena os Chefes e mais algumas bandas não virem, mas como não se pode ter tudo, contentamo-nos com o que vem.
Bom assim me despeço, ( tava a curtir escrever este post mas tenho umas velhotas para assaltar, sabem como é!?), e até ao próximo post.
UP THE IRONS

19 junho 2005

Eddie rips up Lisbon (16-06-2005)

"I remember it as plain as day although it happened in the dark of the night.
I was strolling through the streets of Paris, it was cold, it was starting to rain.
And then I heard a piercing scream and I rushed to the scene of the crime
but all I found was the butchered remains of two girls laying side by side."

Neste meu relato do acontecimento cultural metaleiro do ano, pelo menos para os Neometaleiros (porque não fomos ver a reunião de Judas Priest, chuif!), vou apenas restringir-me ao que interessa, ou seja, o mini-concerto de Dragonforce e o concerto de Iron Maiden (que também soube a pouco!).
Relativamente aos Dragonforce, tenho de admitir, de modo geral, que não sou apreciador desta variante do Metal, o chamado Power Metal, e particularmente em relação à banda em questão muito menos apreciador sou. Como também não conheço muito da carreira desta banda, só o que li num folhetim que era distribuído à saída do concerto, vou apenas comentar o próprio concerto, anterior ao que a malta queria mesmo ver. Há que dizê-lo com frontalidade, aquela bateria enjoa como o caraças! Para além de a batida ser sempre a mesma, abafava todos os outros instrumentos de maneira que mal se ouviam as guitarras e pouco do baixo mas isto já é um problema da mesa de mistura do som. Em relação à voz do vocalista, também deixava um bocado a desejar e para variar mal se percebia o que o gajo dizia por causa da bateria! O único ponto em que não estiveram tão mal foi no animar do público, conseguiam puxar bem pelo pessoal! Mas pronto, aquela meia horita passou num instante, uns gostaram mais que outros mas o pior de tudo foi mesmo o intervalo. Caraças que custou a passar!
Estava eu distraído à conversa com o colega Undertaker, quando de repente, as luzes se apagam, acendem-se dois focos de luz e começam-se a ouvir os acordes de "The Ides Of March" enquanto que um triângulo com o Eddie do Killers ía subindo ao centro do palco (ver foto). O público entra logo em delírio! Em seguida, começa logo a bombar "Murders In The Rue Morgue", que o pessoal que nos rodeava aproveitou para começar logo a primeira sessão de mosh da noite. Estava tanto calor lá dentro que começou a faltar logo o ar a alguns neometaleiros. Em seguida, fomos presenteados com mais uma velhinha, "Another Life", depois veio o "Prowler", que com as três guitarras ficou um espectáculo, e em seguida veio o "Trooper", para alegria do DarkMelgus, que por esta altura já tinhamos perdido de vista, bem como o Undertaker. De assinalar a roupa que o chefe Crube trazia vestido, a imitar o uniforme dos soldados da Brigada Ligeira britânicos, na Guerra da Crimeia (eu também quero um!). Depois tivemos o momento mais emocionante da noite: "Remember Tomorrow" dedicada a Manu da Silva, recentemente falecido. Sinceramente, em nenhum dos álbuns que cá tenho ao vivo (em CD e DVD) ouvi esta música tocada com tanto sentimento, caraças! Ainda me saltaram umas lágrimas ao canto do olho! Simplesmente lindo! Em seguida tivemos o hit preferido do Undertaker: "Run To The Hills", mas aqui nada de especial a acrescentar, o básico. A seguir veio "Wrathchild", "Revelations" (não, desta vez não me voaram os óculos!), e depois veio a primeira brutidade da noite: "Where Eagles Dare". Primeiro ouviu-se o som de metralhadoras e explosões e depois é que foi um ribombar de guitarras e bateria. Mãezinha, que poderzorro! Em seguida veio uma das nossas preferidas ao vivo, desde o último concerto: "Die With Your Boots On". E depois fomos brindados com uma música que não era tocada em Portugal há vinte anos e que se veio revelar a segunda brutidade da noite: "Phantom Of The Opera". Epá aquele ínicio com as três guitarras impõe respeito! Depois veio o clássico "Number Of The Beast" que trouxe umas novidades em termos de animação do palco: uma besta sentada a um dos cantos do palco, um bode bastante sinistro que olhava para todas as zonas do público com o seu olhinho azul brilhante e que foi a manifestação mais satânica que já vi nos gajos, e umas brutas dumas chamas verdadeiras lá atrás, já no final da música. Em seguida tivemos o tradicional "Hallowed Be Thy Name" e aquela que não podia faltar, the "Iron Maiden"! Nesta última surgiu em fundo a metade do Eddie que já tínhamos visto na última vez que eles cá estiveram: o Eddie prateado com os braços presos numa camisa de forças e a balouçar os braços! Como já se adivinhava, veio em seguida um encore que também ele foi dedicado ao Manu da Silva já que seria constituído por músicas num rock 'n roll mais preferido por ele: "Running Free", "Drifter e "Sanctuary". E com muita pena nossa o concerto ficou-se por aqui! Lá voaram as baquetas e os wristbands com um "adeus até para o ano!"
Comentários finais: cantámos até ficar roucos, pulámos até ficar sem forças nas canetas, e como estávamos metidos no meio do mosh pit, fomos amassados até dizer chega, perdemos de vista membros da irmandade neometaleira para só os ir encontrar no final. É de acrescentar ainda o sermão que o chefe Bruce deu ao pessoal que preferia estar a empurrar os outros do que a ouvir a música e que se eles não parassem com aquilo era ele mesmo que saltava lá para baixo e parava-os com os seus punhos! Graças a essa gente, tive de limpar as lentes dos óculos várias vezes porque escorriam água da transpiração bem como a minha t-shirt. No final do concerto, lá procurámos os marroquinos com o merchandise mas como a bófia andava a expulsá-los foi difícil. Só encontrei um escondido num recanto debaixo de uma escada do Vasco da Gama, e sem querer fiz um negócio da China, ou será melhor dizer de Marrocos? Como o gajo tinha tanta gente de volta dele, descontrolou-se, coitado, e em vez de me dar uma t-shirt deu-me duas, ou seja, paguei uma trouxe duas! Foi um dia bastante proveitoso e memorável!

18 junho 2005

IRON MAIDEN Pavilhão Atlântico 16/06/05 - O Concerto

Saudações metaleiras,
Dois dias após o grande concerto de IRON MAIDEN, o corpo dorido dos moxes, a garganta "arranhada" de tanto gritar, nódoas negras e alguns arranhões, mas principalmente um desejo nos nossos corações, porque é que o tempo não recua? Bem, a vida segue sempre em frente e temos promessa que para o ano temos mais uma visita dos "MetalGods" ao nosso país, para apresentarem mais uma obra-prima.
Bem, começando no inicio da nossa "odisseia", eram 13:30, estavam jà os Neo-Metaleiros reunidos na estação da rodoviària da pequena cidade onde residimos, prontos para iniciarmos uma das mais expectantes viagens das nossas vidas; no "bus" o caminho parecia cada vez mais aumentar e estavamos ansiosos por vermos a capital, mas foi uma viagem bastante animada, sempre na alegre galhofa (acho que nunca mais nos deixam andar num expresso); Chegados à capital, e assim que saimos do dito "bus" fomos a todo o "speed" para a estação de comboios de 7 Rios, para podermos apanhar o comboio para a Gare do Oriente; Dentro do dito cujo comboio, foi uma alegre galhofa (como podem ver, nós os Neo-Metaleiros somos completamentos malucos e basicamente mais uma vez acho que nunca mais nos deixam por um pé que seja dentro de um comboio).
Chegados ao Vasco da Gama, deparamos logo com o "Templo" (o Pavilhão Atlântico), fomos então à procura de um sítio para nos sentarmos e tomar uma bebida, enquanto esperavamos pela hora de corrermos para o Pavilhão com o objectivo de conseguirmos apanhar um bom lugar.
As horas custavam a passar, e bem tentàvamos passar tempo, distraindo-nos a ver lojas, mas mesmo assim não conseguiamos parar de "roer as unhas".
Antes de continuar com o relato, quero deixar aqui bem expresso que para além de o centro comercial estar apinhado de Maidonians, andavam tambem por là DEUSAS!!!!!
Continuando, a hora de jantar havia chegado e nós là fomos encher a pança, e tal como o meu amigo Chronos, fui tambem alvo de uma indigestão da comida do Maconato e da sua cerveja; o jantar correu bastante bem e sempre presentiado com animadas coversas e postas de pescada dos membros mais cómicos desta nossa irmandade.
Eram 19 horas, e nós acorremos ao Pavilhão Atlântico, onde as filas para entrar no dito "Templo" aumentavam cada vez mais. Nas vàrias entradas do "Templo", existe sempre a habititual revista ao pessoal, e quero deixar aqui bem expresso o meu desagrado com o trabalho dos filhos da puta dos bófias, que para além de estarem a desempenhar as ordens que lhes são dadas, abusam, e quero deixar aqui uma mensagem para os bófias e para os seus superiores - Comam menos merda, isso faz-vos mal!!!
Bem passado este momento desagradàvel, entramos para o "Templo" e fomos logo marcar lugar. Enquanto a ansiedade aumentava, por entre cânticos dirigidos aos chefes, bacuradas e umas malhas de Arch Enemy, o tempo passava cada vez mais devagar e o nosso olhar apenas se dirigia para o relógio do membro Profeta (e para uma deusa que estava a minha frente).
Com o anunciar das 20:30, entraram em palco os Dragenforce, e tal como referiu o Chronos, são uma das grandes revelações do Speed/Power Metal europeu, e os trinta minutos cedidos a esta banda sobe a pouco mas jà deu para adoçar a boca. Pela minha parte, gostei da actuação desta banda e como sou fã deste género de metal, vou acompanhar o trabalho dos Dragonforce.
Em relação ao público, começava-se jà a afirmar-se os pontos de moxe, gostei muito de ver algumas reações de pessoal que não conhecia a banda e estava a curtir o espétaculo mas fiquei muito desapontado por algumas almas vaiarem os músicos que deram o melhor que podiam dar numa actução curta.
Após o termino da actuação dos Dragonforce, sucedeu-lhe o intervalo, que para mim foi o maior intervalo da minha vida, até que as luzes se apagaram e começou-se a ouvir o "Ides of March", e os chefes entraram em palco para nos deliciarem com um grandioso concerto, ao qual o publico correspondeu muito bem com palmas, cânticos e estupidamente com moxes e "crowdsurf".
Foi de outro mundo, ouvir os exitos mais antigos dos chefes, em que nos cd's nos aparecem num estilo mais de hard rock, e no concerto bastante pesadas e apresentando o Heavy Metal na sua màxima força.
Todas os momentos do concertos foram muito especiais para mim, mas quero salientar a entrada da música "Where Eagles Dare" com o som das metrelhadoras; o "Remenber Tomorrow" muito melódico e dedicado ao Manú da Silva, que todos sentiram nos seus corações; a "Revelations", excelente, brilhante, genial; o "Number of The Beast", que para complementar a música, fomos delíciados com uma grande espétàculo de cenàrio, com o 666 bem luminoso, acompanhado com chamas e as figuras do Eddie e de um bode; no "Trooper", o senhor Bruce com o casaco vermelho do "Trooper".
Foi um grandioso concerto, que ficarà para sempre no meu coração, tal como o anterior concerto onde estive presente.
Agora, nós, viramos os nossos pensamentos para o nosso próximo objectivo, que é a visita ao Eddies Bar, e peço a quem ler este post, que se tiver informações sobre em que estado se encontra agora a continuidade do Eddies Bar, nós ficamos muito agradecidos em que nos fornecam essas informações.
Obrigado Chefes por um dia excelente nas nossas vidas e um grande Obrigado ao Manú da Silva, descansa em paz!!!
UP THE IRONS!!!!

Iron Maiden no Pavilhão Atlântico - 16/06/05

Como podem imaginar pelo resto dos posts, a banda de eleição desta maralha dos neo-metaleiros é, sem sombra para dúvidas, os Iron Maiden, ou os "chefes". Ora, como devem ter visto nos noticiários e afins, os "chefes" andaram pelas paragens lusitanas na passada quinta-feira, dia 16 de Junho, e como não podia deixar de ser, os neo-metaleiros embalaram na 2.ª excursão da sua ainda breve experiência, para ver estes cotas da música dita "pesada".
Embarcamos para lá bem cedo e mal chegámos a indumentária típica dos fãs de Maiden começou-se a ver por tudo quanto era lado. Já não estavamos sozinhos... Jantamos por lá e dou desde já um conselho a todos aqueles, tão inexperientes quanto eu, que evitem por tudo ir comer ao Maconato (McDonald's) antes de um concerto. E mais importante ainda, nunca lá peçam imperiais, provavelmente as piores do mundo (Blargh!!!). Aquela merda trabalhou-me no estômago a noite inteira!
Mas indo ao que interessa, lá entrámos para o Pavilhão do Atlântico, com o público bastante activo desde que lá chegou, era ver cânticos de Maiden por todo o lado. A abertura do concerto ficou entregue a uma banda de Londres, os Dragonforce, uma banda de speed/power metal que até ultrapassou as expectativas do pessoal. Estes gajos são considerados as "esperanças" do speed/power metal, e eu, mesmo não sendo este o meu estilo musical de eleição, ainda curti ao som dos "marmanjos". Os solos de guitarra destacavam-se claramente, alternando entre ambos os guitarristas, superando-se constantemente. Acabei por ter um bocado de pena dos gajos acabarem tão cedo, o "aquecimento" só durou meia hora.
Seguiu-se um intervalito, e o pessoal recuperou as energias e redobrou-as quando os primeiros acordes do "Ides of March" começaram a soar, para quem não sabe, aquela primeira músiquita do "Killers". Toda a gente ficou boquiaberta e pouco depois tínhamos a banda já em palco a tocar o "Murders in the Rue Morgue", música baseada num poema de Edgar Allan Poe. Sentiu-se logo o apertão inicial do público e os "moxes" não tardaram, para grande tristeza minha. Os "moxes" continuaram de tal ordem que perdemos pouco depois os colegas Undertaker e Darkmelgus, para não os ver mais o resto do concerto. O colega Trooper é que depois me disse que estavamos rodeados de skinheads, daí o exagero dos "moxes", o próprio Bruce Dickinson ameaçou descer do palco e pregar-lhes uma carga de porrada se eles não parassem. Ele bem tentou, mas não resultou em muito, porque provavelmente não percebiam inglês.
No meio de tanta música velhinha admito que é bastante díficil encontrar a melhor da noite, mas após alguma reflecção encontrei uma que eles tocaram como nunca em nenhum concerto, "Remember Tomorrow". Esta música, que a banda dedicou ao recentemente falecido Manú da Silva, foi tocada de uma forma emotiva que resultou em algo que antes eu nunca tinha ouvido, com o Bruce a dominar completamente cada nota mais aguda e a "berrar" como já não o ouvíamos há muito tempo. Notava-se na banda uma emoção enorme, e a forma como tocavam tornou-se ainda mais fenomenal.
De destacar igualmente a entrada da música "Where Eagles Dare", fazendo-nos parecer que estávamos num meio de um campo de batalha da Segunda Guerra Mundial. O encore foi igualmente dedicado ao Manú da Silva, tocando a banda aquelas faixas mais hard rock, como "Wrathchild", "Drifter", ou a típica "Sanctuary", mais ao agrado do falecido.
A banda brilhou completamente, destacando-se, para mim, as actuações do Bruce, com uma energia de quem tem os seus 16 anos (o homem é um cinquentão, caralho!!!), evidenciando-se como um brilhante vocalista e entertainer para o público; e a actuação do baixista Steve Harris, com o seu toque inconfúndivel, e mostrando plenamente o porquê de ainda ser considerado por muitos (eu incluíndo) o melhor baixista do mundo. O pior acabou por ser um público, e citando as palavras do próprio Bruce, "incapaz de respeitar aqueles fãs de maiden que queriam curtir a música na sua, sem moxe".
O concerto acabou com um até para o ano, com um novo albúm...

12 junho 2005

Dicas para os incultos II

Saudações metaleiras!!!
Quero deixar aqui mais umas propostas que merecem atenção, Bleed the Sky, é uma banda norte-americana e anda na onda de Slipknot, Mudvayne e Lamb of God, que apresenta o seu primeiro album, Paradigm in Entropy.
Destaque para o novo album dos Masterplan, Aeronautics; Descent Into Chaos, dos Nightrage; Stabbing the Drama, dos Soilwork; Consign to Oblivion, dos Epica; Vinland Saga, dos Leaves Eyes; Character, dos Dark Tranquillity e Touched by the Crimson King, dos Demons & Wizards ( pra quem não conhece, é um projecto do Sr. Hansi Kursch, dos Blind Guardian e do Sr. Jon Schaffer dos Iced Earth, tendo ainda como baterista o Sr. Bobby Jarzombek, tambem dos Iced Earth ).
Ah, quero aqui deixar explícito, que os albums que sugiro são de bandas as quais possuo os cd's ou jà tive a possibilidade de os ouvir.
Espero que fiquem bem, pois eu vou ficar de certeza, faltam 4 dias pró EDDIE "ripar" Lisboa!!!
EH, CARAÇAS!!!!!!!!!! ( como diria o profeta )
UP THE IRONS!!!!!